Buscar este blog

lunes, 3 de marzo de 2014

Informação Técnica: Manejo adequado de plantas invasoras auxilia no combate aos percevejos - EXCLUSIVO

 Os percevejos são considerados como as principais pragas do cultivo da soja (não é só a Helicoverpa spp.) e vem causando danos consideráveis também no milho safrinha a alguns anos no Paraguay. Hoje o percevejo marrom (Euschistus heros) é a principal espécie a atacar estas culturas na região, mas recentemente o percevejo barriga verde (Dichelops spp.) vem aumentando em população e importância no cenário agrícola.

Na final do ciclo da soja, é comum encontrar populações elevadas destas duas espécies pelo ambiente apropriado para o desenvolvimento (temperatura/alimento/abrigo), estas populações migram então para as lavouras de milho recém emergidas.

A sobrevivência dos percevejos é favorecida pela presença de plantas invasoras na parcela, entre elas destacam-se a poaia-branca (Richardia brasiliensis), a erva-quente (Spermacoce latifolia), trapoeraba (Commelia benghalensis), capim-amargoso (Digitaria insularis), entre outras. Estas plantas servem como abrigo e alimento aos percevejos, mesmo em períodos onde não há cultura instalada.

Esta constatação pode ser feita avaliando os danos no milho; onde há presença de plantas invasoras o nível de dano é superior em comparação de onde o cultivo está no limpo, e evidencia-se pela presença dos percevejos nestes abrigos, como na foto ao lado.

O manejo adequado destas plantas durante o cultivo da soja e antes da implantação da segunda safra, faz com que não exista esta "ponte" entre as duas culturas e os danos potenciais são menores. Para o adequado controle destas três primeiras invasoras, é importante considerar dois pontos: o segredo do manejo químico está com o uso de aplicações sequenciais e a elaboração de um plano de manejo anual com o uso de herbicidas pré-emergentes.

Por: Canal Agro Paraguay

No hay comentarios.:

Publicar un comentario