Buscar este blog

sábado, 27 de julio de 2013

Informação Técnica: Efeito do frio em trigo - EMBRAPA TRIGO

Foto: Aldemir Pasinato
O efeito de baixas temperaturas na cultura de trigo produz resultados diferenciados, dependendo do estádio de desenvolvimento em que ocorre. A Embrapa Trigo vem trabalhando, desde 1976, na avaliação e na criação de linhagens de trigo com maior tolerância à geada, que é a condição de frio que maiores prejuízos tem causado na cultura.

É dito, freqüentemente, entre os agricultores, que a geada é benéfica ao trigo, principalmente nos períodos iniciais de desenvolvimento. Por outro lado, com as geadas, pragas e doenças de trigo são reduzidas, beneficiando indiretamente a cultura em início de estabelecimento.

Contudo, a temperatura ideal para o pleno desenvolvimento da planta não deve ser muito baixa, pois pode paralisar o crescimento de trigo. Quando ocorre baixa temperatura na fase inicial da lavoura, sem formação de geadas, haverá prolongamento do período vegetativo e o trigo desenvolverá mais afilhos, resultando também em sistema radicular mais abundante, possibilitando maior exploração dos nutrientes do solo.

Para o afilhamento, temperaturas entre 15 e 20 ºC são excelentes, enquanto para o desenvolvimento de folhas a temperatura ideal é de 20 a 25 ºC. A partir do estádio de alongamento, temperaturas muito baixas, com formação de geadas fortes, poderão provocar "queima" de folhas e "estrangulamento" do colmo de trigo, prejudicando severamente a cultura. O "estrangulamento" do colmo dá-se quando ocorre rompimento das paredes celulares nos pontos de crescimento/alongamento dos entrenós.

Quando ocorre geada na fase de espigamento/florescimento, os danos podem ser muito severos, havendo redução no número de grãos por espigueta e, conseqüentemente, por espiga. Os danos por geada podem ser observados quando a temperatura (no abrigo meteorológico), durante a floração, é menor do que – 1 ºC. Além disso, quando ocorrem geadas muito intensas (com temperaturas abaixo de -2 ºC=dois graus Celsius (centígrados) negativos no abrigo do posto meteorológico), na fase de florescimento, os danos são totais e as perdas irreversíveis. Também, com –2 ºC ou temperaturas inferiores, ocorrem sérios prejuízos no enchimento de grãos. Basta aguardar de cinco a sete dias, após a geada, quando o prejuízo pode ser comprovado. Temperatura de 0ºC (zero graus Celsius), ou menor, no abrigo meteorológico, indica possibilidade de danos em lavouras de trigo, principalmente naquelas localizadas nas "baixadas" de campo.

As observações feitas até hoje indicam que dificilmente será possível a obtenção de variedades de trigo tolerantes à geada, na fase reprodutiva. Durante a fase de grão leitoso, o dano causado é o enchimento incompleto do grão (enrugamento), resultando em baixo peso específico (ou PH) e, por conseqüência, em redução no rendimento de grãos e na qualidade final destes.

Para diminuir os riscos com geada, a pesquisa tem recomendado a diversificação e o escalonamento de épocas de semeadura, deixando as variedades mais suscetíveis para o fim da época de plantio recomendada e para as partes mais altas da lavoura.

Fonte: Embrapa - CNPT
Autores: 
Pedro Luiz Scheeren
Gilberto Rocca da Cunha
Fábio José Siqueira de Quadros
Luiz Fernando Martins

No hay comentarios.:

Publicar un comentario