Buscar este blog

jueves, 9 de mayo de 2013

Informação Técnica: Calcário Líquido - Analisando Algumas Considerações - NA SALA COM GISMONTI

Imagem: Na Sala com Gismonti

O aparecimento de corretivos de acidez, caracterizados como "calcário líquido", está causando uma polêmica muito grande no meio agronômico. Os maiores motivos de contestação são contra às recomendações das empresas que os fabricam, em relação à denominação de "corretivo da acidez do solo" e à quantidade, ou seja, "5 litros/ha do calcário líquido" substituem uma  tonelada de calcário em pó. Realmente, essa quantidade é de colocar em dúvida qualquer vivente. Mas, vamos analisar alguns fatores:


1) Teor de CaO e MgO que, por convenção, são as formas de expressão dos teores de Ca e Mg dos calcários. O fabricante diz que o seu produto, calcário líquido, possui 17,5 % de Ca e 6% de Mg. Convertendo em CaO e MgO teremos:
17,5% Ca x 1,4 = 24,5% de CaO
6% de Mg x 1,67 = 10,0% de MgO

A Legislação Brasileira para corretivos de acidez estabelece que o mínimo de CaO e MgO para um produto ser registrado como corretivo, portanto estar apto à comercialização, é que ele deve apresentar como garantia, no mínimo, 38% na soma dos dois óxidos. Ora, o produto em questão apresenta 24,5% CaO + 10,0% de MgO, ou seja, um total de 34,5 %. Por esse fato, o calcário líquido não poderia ser registrado como corretivo da acidez do solo, pois as garantias estão abaixo do mínimo estabelecido pela legislação.

O PN desse produto seria:
24,5 CaO x 1,79 = 43,8
10,0 MgO x 2,48 = 24,8
PN = CaO + MgO = 43,8 + 24,8 = 68,8%
A legislação exige, no mínimo, um PN de 67%.
LEIA:  Influência do PN na qualidade do calcário

Sabe-se que aplicando 1 tonelada/ha de calcário pó na camada de solo de 0-20 cm, cada 1% de CaO adiciona ao solo o equivalente a 0,01783 cmolc/dm³ de Ca.

Um calcário em pó com 36% de CaO adicionaria ao solo:
36 % CaO x 0,01783 = 0,64 cmolc/dm³ de Ca
1 cmolc Ca = 0,2004 g = 200,4 mg/dm³ Ca
0,64 x 200,4 = 128,25 mg/dm³ Ca
128,5 mg/dm³ x 2 = 257 kg/ha Ca para cada tonelada aplicada.

O fabricante do calcário líquido diz que existe 297,5 g/L de Ca no seu produto.
297,5 g/L x 5 (dose recomendada por ha) = 1.487,5 g Ca = 1,487 kg/ha Ca
1,487 kg/ha Ca x 2,4973 = 3,7 kg/ha de CaCO3

Na propaganda do produto, os fabricantes afirmam que a ação do calcário líquido vai até 25 cm abaixo da superfície do solo.

O cálculo do MgO do calcário pó não daria resultado diferente, ou seja, adicionaria mais Mg. Na aplicação de 1 tonelada/ha de calcário dolomítico pó na camada de solo de 0-20 cm, cada 1% de MgO adiciona ao solo o equivalente a 0,0248 cmolc/dm³ de Mg. O calcário líquido, segundo o fabricante, adiciona 102 g/L de Mg.
102 g/L x 5g/ha = 610 g/ha ou 0,61 kg/ha de Mg
0,61 kg/ha Mg x 3,4692 = 2,1 kg/ha de MgCO3.

Portanto, em relação à quantidade recomendada de 5 L/ha, o pessoal tem razão de contestar.

2) A legislação exige ainda, no Art. 9º,§  2º, que os corretivos de acidez que não tenham antecedentes no país em qualquer um de seus aspectos técnicos, o registro só será concedido com base no resultado de trabalho de pesquisa ou parecer de instituição de pesquisa oficial que ateste a viabilidade de seu uso agrícola, em conformidade com o que estabelece o Art. 15 do regulamento aprovado pelo Decreto nº 4.954, de 2004.

Resultados de pesquisa oficial praticamente não existem. Recomendação por instituição de pesquisa oficial está difícil, porque o IAC (Instituto Agronômico de Campinas) editou, recentemente, uma nota oficial que não recomenda a utilização de fertilizantes fluídos (calcário líquido) para a neutralização da acidez do solo. A nota do IAC pode ser visualizada acessando:
http://www.iac.sp.gov.br/noticiasdetalhes.php?id=828

Resta-nos perguntar como o produto obteve registro de corretivo da acidez do solo se a soma garantida pelo fabricante não atinge os 38% (%CaO + %MgO) e a utilização do produto calcário líquido, não sendo tradicional no País, não possui resultados de pesquisa exigidos pelo Art. 9º, § 2.

3) Como fertilizante fluído deixa uma incógnita, pois a Legislação exige garantias mínimas de 10% de Ca e 8% de Mg para o fluído. O produto chamado calcário líquido tem 6% de Mg.

Pode até o produto apresentar benefícios como fornecedor de Ca e Mg para as plantas em pomares e horticultura. Vale, nesse caso, a necessidade de pesquisas para comprovar isso, no que diz respeito à quantidade, época de aplicação, modo de aplicar, etc. Mas, não como corretivo da acidez do solo, nem de neutralizar o Al³ tóxico do solo. Por cálculos estequiométricos, para neutralizar 1 cmolc/dm³ de Al³+ seria necessária 1 tonelada/ha de carbonato de cálcio (100%) e incorporada na camada de 0-20 cm do solo.

Fonte: Na Sala com Gismonti

No hay comentarios.:

Publicar un comentario