Buscar este blog

lunes, 2 de julio de 2012

Informação Técnica: Plantio direto, fertilidade física do solo e sequestro de carbono - A GRANJA


Imagem da estrutura do solo sob a palha em área cultivada por meio de um eficiente sistema de plantio direto
Fertilidade física do solo é um termo pouco usado no dia a dia do campo, mas muito importante para o bom desenvolvimento das plantas. Normalmente quando falamos em fertilidade do solo, lembramos sempre dos nutrientes, dos adubos ou fertilizantes, dos corretivos e tudo o que se relaciona à nutrição de plantas. Mas esquecemos que o solo precisa também ter boa estrutura física para um bom desenvolvimento de plantas, com consequente boa produtividade. A fertilidade física do solo está relacionada com a estrutura do solo, e esta afeta diretamente a densidade e a porosidade do solo. A porosidade do solo, por sua vez, afeta a circulação de ar e água no solo e o desenvolvimento radicular, interferindo diretamente no desenvolvimento e produtividade das plantas.

Solos sob plantio direto, sem revolvimento e com adição contínua de matéria orgânica por meio dos resíduos culturais, tendem a apresentar uma boa estrutura, com equilíbrio entre macro e microporos, apresentando boa infiltração e armazenamento de água. 


Mas, para o efeito positivo do sistema plantio direto (SPD), precisa ser conduzido de forma correta, respeitando os preceitos básicos do sistema, que são os seguintes: o não revolvimento do solo, sua permanente proteção com resíduos vegetais (palha) ou com plantas vegetando, além do uso constante da rotação de culturas, propiciando assim, ambiente favorável para a melhoria da estrutura do solo.

Nos períodos de estiagem que o sistema de manejo do solo faz a diferença. Em solos sob plantio direto bem conduzido, com boa estrutura e sem impedimento ao desenvolvimento radicular, as plantas desenvolvem mais profundamente suas raízes em períodos de estiagem em busca de água e nutrientes, conseguindo desta forma manter os níveis de produtividade.

Os solos são formados por partículas de areia, silte e argila. Essas partículas são unidas formando agregados de diferentes tamanhos no solo e o arranjo desses agregados é que determina a estrutura do solo. A matéria orgânica do solo é de fundamental importância para a formação desses agregados. Ela funciona como agente cimentante entre as partículas e os agregados de diferentes tamanhos, que se reorganizam definindo a estrutura do solo.

Fonte: Revista A Granja
Por: Lutécia Beatriz Canalli, Eng. Agr. Mestre em Agronomia/Ciência do Solo e Dra. em Agronomia/Produção Vegetal, extensionista da Emater-PR

No hay comentarios.:

Publicar un comentario