Buscar este blog

domingo, 29 de julio de 2012

Informação Técnica: Decidir qual cultura plantar e qual a técnica a ser usada não garante o bom manejo do solo - REHAGRO

Solos cobertos com vegetação, além de permitir uma melhor absorção de água, protegem o solo contra erosão pelas enxurradas e pelos impactos causados pela chuva.

Por meio de técnicas de manejo e conservação do solo, é possível dar o uso e o manejo adequado às suas características químicas, físicas e biológicas e conseqüentemente preservar e/ou recuperar a área. Com o emprego dessas práticas de conservação, é possível manter a fertilidade do solo e evitar problemas comuns, como a erosão e a compactação.

Um bom planejamento de métodos de conservação do solo não consiste somente em escolher as plantas mais adaptadas e nem as mais indicadas técnicas de cultivo. É preciso que o produtor utilize também de outras tecnologias, como: correção do solo, adubação correta, tratamento de mudas e sementes, combate a erosão, densidade e espaçamentos corretos, controle de plantas daninhas, e controle de pragas e doenças.
Em uma área com Sistema de Plantio Convencional (SPC), onde o solo fica bom tempo descoberto, perde-se por ano cerca de 3 a 6 vezes mais solo do que em uma área com vegetação densa, além de perder água por escorrimento superficial, ocasionado em sulcos e voçorocas.

Foto comparando preparo de solo em sistema convencional (A) e sistema de plantio direto (B).

Existem algumas técnicas que amenizam os efeitos causados pela água das chuvas e/ou pelo mau uso dos solos pelo homem. Dentre elas podemos citar: plantio direto, rotação de culturas, cultivo mínimo, adubação verde, reflorestamento, construção de terraços e barraginhas, dentre outras.

Algumas práticas de conservação e manejo dos solos:

- Plantio Direto:
Um dos principais objetivos desse sistema é proporcionar o desenvolvimento das plantas, mantendo o solo coberto com palha. É um sistema de plantio já usado há mais de 30 anos no Brasil. Uma das grandes vantagens é o aumento do teor de matéria orgânica no solo ao longo do uso dessa técnica. É correto dizer que o sistema de plantio direto (SPD) é mais econômico que o sistema de plantio convencional (SPC), pois se eliminam operações de preparo do solo (aração e gradagem). É bom lembrar que a adoção do sistema de plantio direto não se resume a não revolver o solo. Existem várias outras práticas empregadas para que esse sistema obtenha sucesso, como por exemplo, correção do solo, rotação de culturas, adubação verde, descompactação do solo.

Dentre muitas outras vantagens, após a implantação do sistema, está a conservação da umidade do solo, permitindo às plantas uma maior resistência a escassez de água e melhor aproveitamento dos nutrientes disponíveis no solo.


- Rotação de Culturas
Essa prática consiste em alternar culturas a cada nova safra. Com isso diminue a incidência de pragas e doenças, além de reduzir a infestação por plantas daninhas, pois a cada implantação de uma nova cultura o ciclo de certa praga ou doença é interrompido.

Outro benefício desse metodo é a exploração do solo por raízes e também a absorção de nutrientes pelas diferentes espécies de plantas cultivadas sobre determinado solo, além de promover um aumento na biodiversidade do solo.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Para uma boa cobertura conservação de solo são usadas espécies de plantas com grande quantidade de massa verde e abundante sistema radicular. As espécies escolhidas também devem ter propósitos comerciais e de manutenção ou recuperação do meio-ambiente. Essas técnicas, se bem conduzidas, além de proporcionar uma boa conservação do solo, conferem um controle de plantas daninhas, pragas e doenças, e diminuem a perda de solo por erosão, seja por água das chuvas ou de irrigação. Uma técnica não deve ser empregada isoladamente. É preciso conciliar essas técnicas com outras práticas garantam uma boa conservação do solo, trazendo vários benefícios para a lavoura e o solo.

Fonte: Rehagro
Por: Marcos Evangelista

No hay comentarios.:

Publicar un comentario